Cronologia do Tempo - Leia mais ...

• 2003 - Preparação do solo e escolha do terroir a 1.000 metros de altitude para implantação das primeiras castas francesas em Videira - SC

• 2004 - Plantio das castas

• 2006 - Primeiras Vinificacões de Cabernet Sauvignon , Merlot, Chardonnay e Moscato Giallo.
Construção da Vinícola Santa Augusta

• 2007 - Aquisição de uma segunda propriedade no terroir de Água Doce ,SC, a 1300 metros de altitude.
Preparação do solo e plantio de castas tintas Cabernet Sauvignon, Merlot , Cabernet Franc, Malbec, Montepulciano e Pinot Noir.

• 2008 - Lançamento dos vinhos Santa Augusta.

• 2009 - Lançamento dos espumantes Santa Augusta

• 2010 - Ampliado os vinhedos de Videira (Chardonnay e Moscato) e de Água Doce (Pinot Noir, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Prossecco).
Instalada a linha de engarrafamento isobárico e as autoclaves para a elaboração dos espumantes charmat e da linha de produção dos espumantes método clássico

• 2011 - Lançamento do primeiro vinho passito de Moscato Giallo.
Outono de 2011, inicio da adequação dos vinhedos para o cultivo Biodinâmico.

• 2012 - Em março, colheita das primeiras uvas cultivadas sob o manejo Biodinâmico.

Clique para ampliar

Terroir - Leia mais ...

A 1.000 metros de altitude, com as quatro estações bem definidas com invernos frios e verões ensolarados, a Vinícola Santa Augusta é um dos pontos mais altos do Vale do Contestado onde são cultivadas as Castas Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc, Malbec, Montepulciano, Pinot Noir, Chardonnay, Moscato Giallo, Sauvignon Blanc e Prossecco.

 

No ano de 2007 foi adquirida uma nova propriedade onde foi efetuado o plantio de castas francesas para elaboração de grandes tintos assim como variedades de uvas brancas. Os vinhedos estão Localizados a 1.300 metros de altitude em Água Doce, SC.

 

Os vinhedos são plantados em alta densidade, com espaçamento entre plantas de 0,75 m, em espaldeira, com poda no sistema guyot simples. As filas estão orientadas no sentido norte /sul para que ocorra uma perfeita insolação de todas as folhas na espaldeira. A produção é de somente 750 gramas por planta.

 

No ano de 2011 a Vinícola Santa Augusta iniciou o processo de transformação dos seus vinhedos para o cultivo biodinâmico.

 

A cada safra, até o final da maturação, as uvas são avaliadas periodicamente (de 2-4 dias) eno laboratório ENOLAB a fim de serem colhidas no máximo potencial qualitativo para cada um dos vinhos e espumantes produzidos pela VSA.

 

Cultivar vinhas é uma arte. A Vinícola Santa Augusta reuniu um seleto grupo de profissionais apaixonados por criar obras de arte em cada nova garrafa produzida. No comando da área víticola e enológica da VSA está o Eng. Agrônomo, Enólogo e Sommelier, Jefferson Sancineto Nunes, especialista em Viticultura e enologia com formação na Itália e que é o responsável pelo processo de reconversão dos vinhedos para o Cultivo Biodinâmico e pela modernização da vinícola.

 

O selo VSA revela o cuidado desde o cultivo, seleção, elaboração e a conservação dos vinhos em caves climatizadas tanto para as barricas como para as suas garrafas, para proporcionar aos consumidores experiências únicas.

 

O processo de cultivo, seleção e colheita é manual e cuidadoso, resultando uma produção limitada, conferindo a cada garrafa qualidades únicas, aliada a elegância, requinte e exclusividade. A primeira safra da Santa Augusta foi em 2005 e desde o ano de 2008 esta oferecendo ao mercado vinhos e espumantes.

 

Em Videira, os fundadores da Vinícola Santa Augusta plantaram mais do que mudas de videiras selecionadas. Plantaram o sonho da produção de vinhos finos de altitude com atitude.

Vinhedo Biodinâmico - Leia mais ...

A Vinícola Santa Augusta, possui duas áreas de vinhedos: Uma na cidade de Videira, SC com 11,04 ha de vinhedos e cuja altitude oscila entre 878 e 1004 m.s.n.m. e outra propriedade com vinhedos na cidade de Água Doce, SC com um área de 5,53 ha de vinhedos e cuja altitude oscila entre 1265 e 1290 m.s.n.m.

 

Em outubro de 2010, o Eng. Agrônomo e e enólogo Jefferson Sancineto Nunes apresentou a idéia de iniciar a reconversão dos vinhedos das duas propriedades para o manejo Biodinâmico à Taline De Nardi, uma das sócias da VSA, uma vez que já estavam fazendo um manejo que permitia reduzir significativamente o uso de fungicidas e eliminado o uso de herbicidas. Já vinham preparando o vinhedo para um desafio mais alto e que permitisse manifestar o terroir das duas propriedades e com isso dispor de uvas mais saborosas e com produção equilibrada, portanto, ter uma matéria prima que permitisse elaborar um vinho mais aromático, mais saboroso e principalmente que refletisse as diferenças entre os terroirs que a vinícola dispõe.

 

Outra motivação, muito importante, foi o apoio integral das duas sócias da Vinícola Taline De Nardi e Morgana De Nardi, duas jovens empresárias que encararam com desenvoltura e com naturalidade o desafio, uma vez que até agora a Biodinâmica sempre havia sido vista como um manejo que "não funcionaria no sul do Brasil" e sem mudar o manejo atual da viticultura com certeza é uma grande verdade.

 

O trabalho iniciou com a aplicação do preparado PB 500 (chifre-esterco) para revitalizar o solo no outono e na primavera de 2011. A poda seca foi feita dentro do período ideal segundo o calendário biodinâmico, assim como todas as práticas vitícolas, como o desbrote, a desfolha, a remoção das feminelas e a desponta, bem como a aplicação do preparado PB 501 (Chifre sílica). Para a prevenção das doenças fúngicas, foram inicialmente feitas pulverizações regulares com o uso do chá de cavalinha e depois com o uso do sulfato de cobre, produto que é autorizado o uso na Viticultura Biodinâmica e mantendo durante o ciclo vegetativo sempre capinada a faixa onde se encontram as plantas.

 

Pode até parecer muito simples e fácil conduzir um vinhedo Biodinâmico, mas na verdade não é. É necessário ficar de olho aberto e vistoriar constantemente os vinhedos e ver os sinais que as plantas estão nos dando, ter bom senso e ao menor sinal de um "problema" ou um sinal desfavorável que a planta está nos fornecendo, fazer uso dos os tratamentos autorizados pela biodinâmica. A prevenção é a alma do negócio.

 

Outro fator crucial é ter toda a equipe engajada dentro da causa da Biodinâmica. Isso vale desde os proprietários da vinícola até o funcionário que terá que dinamizar (diluir e misturar bem) os preparados Biodinâmicos e aplicá-los nos vinhedos. O menor descuido significa perdas. É preciso estar preparado também para surpresas, como a que tivemos nas variedades mais precoces dos vinhedos da cidade de Videira, quando vimos que o volume de calda e a forma como estava sendo aplicada estava errada e a proteção dos produtos estava sendo ineficiente e o míldio veio com força e tivemos nessas áreas perdas significativas de produção. O erro serviu de aprendizado para descobrir como o pH da Calda Bordalesa funciona em relação ao tratamento do fungo e com isso conseguimos acertar o manejo nas variedades mais tardias do vinhedo da cidade de Videira e em todo o vinhedo de Água Doce, onde não tivemos nenhum problema de doenças e onde foi possível produzir o primeiro vinho tinto elaborado com uvas cultivadas no manejo Biodinâmico. Esse vinho foi elaborado com a uvas Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc e apresentou durante toda a fermentação alcoólica uma regular cinética de fermentação, ausência de pirazina e aroma bem frutado. Esse vinho apresenta uma grande estrutura, com taninos de ótima qualidade e uma cor muito intensa e atraente.

Clique para ampliar